Um Olhar Atual sobre os grupos da Copa do Mundo na Rússia

32 seleções e um só objetivo: levantar o título de campeã do mundo. Você confere aqui no Olhar Atual uma análise sobre cada grupo dessa que será a 21ª edição da Copa do Mundo.

163

14/06/2018. Daqui a poucos dias terá início mais uma Copa do Mundo. Mais uma data que entra para a história do futebol, afinal é o início da 21ª edição do torneio, sendo disputada pela primeira vez na Rússia e pela 11ª em solo europeu.

E nós, do portal Olhar Atual (e no texto de estreia deste que vos escreve), não ficamos para trás e fizemos uma análise de cada grupo da Copa do Mundo 2018. Confira agora mesmo:

 

GRUPO A (Rússia, Arábia Saudita, Egito e Uruguai)

Apesar de anfitriã e cabeça de chave, a seleção russa pouco empolga para a competição (não vence um jogo desde 10/10/2017 – empate em 1×1 com o Irã), e menos ainda empolga a Arábia Saudita, em sua 5ª participação. O Egito também não escapa (3ª participação, apenas), no entanto sua seleção é encabeçada por Mohamed Salah (Liverpool-ING), um dos melhores jogadores da atualidade. Sobra então o Uruguai, bicampeão mundial e favorito disparado do grupo A, contando com a dupla de ataque Cavani e Suárez. Se dá para cravar quem passa, diria que Uruguai e Rússia.

 

GRUPO B (Portugal, Espanha, Marrocos e Irã)

De certo modo é fácil definir os classificados. Atual campeã da Europa e liderada por Cristiano Ronaldo, a seleção portuguesa não figura entre as favoritas ao título, por não possuir um conjunto de muita qualidade. Já a Espanha tem um plantel muito mais robusto e repleto de ótimos jogadores, como Iniesta, David Silva, Sergio Ramos, Asensio e muitos outros, figurando como uma das favoritas ao bicampeonato. E o que serão de Marrocos e Irã nessa Copa? Ambos que se cuidem.

 

GRUPO C (França, Austrália, Dinamarca e Peru)

Desde o fiasco de 2010 (eliminação na fase de grupos na África do Sul), a seleção francesa só melhorou e promete dar trabalho este ano. A segunda vaga do grupo C terá uma disputa ferrenha entre três seleções com um aspecto em comum: dependem quase que exclusivamente de um único jogador (Austrália: Tim Cahill; Dinamarca: Christian Eriksen; Peru: Jefferson Farfán – e Paolo Guerrero como sombra). Ainda assim arrisco em dizer que a Dinamarca possui ligeiro favoritismo e, portanto, passará pro mata-mata junto com os les bleus.

 

GRUPO D (Argentina, Croácia, Islândia e Nigéria)

Favorita à liderança de seu grupo e ao tricampeonato, a seleção do craque Lionel Messi promete dar trabalho. Para fazer frente à vice-campeã da última Copa, a Croácia figura como principal candidata, tendo em vista a sua qualidade em relação à sensação Islândia, em sua primeira Copa (e que deixou a Croácia na vice-liderança do grupo I nas Eliminatórias Europeias), e à Nigéria, que também disputa o título… de uniforme mais bonito. Veja por você mesmo:

(Fotos: AmoJerseys/Reprodução)

 

GRUPO E (Brasil – olha “nóis” aqui! -, Suíça, Costa Rica e Sérvia)

Até que algum mal intencionado machuque Neymar ou Thiago Silva vá aos prantos, a Seleção Brasileira é favorita ao hexa (desde 2006 – e nada, até agora!) e só depende de si para bater os fracos – mas não menos espertos – adversários de sua chave, vide o que a Suíça fez nas Eliminatórias europeias e a Costa Rica na última Copa (chegou às quartas de final passando na liderança do grupo da morte, com Itália, Uruguai e Inglaterra). Boa sorte, Brasil!

 

GRUPO F (Alemanha, México, Suécia e Coreia do Sul)

A atual campeã do mundo é, sem dúvida, favorita à liderança isolada de seu grupo e, é claro, a mais um título de Copa do Mundo (o Brasil que se cuide). Como adversários, um México que ladra, mas não morde; uma Suécia sem a sua principal estrela, Zlatan Ibrahimovic; e a Coreia do Sul, que só dará trabalho aos narradores, mesmo.

 

GRUPO G (Bélgica, Inglaterra, Panamá e Tunísia)

A seleção belga já é uma realidade entre as melhores seleções do mundo (3ª melhor no ranking da FIFA) e promete vir com tudo na Rússia. O título de coadjuvante então ficou para a Inglaterra, com um elenco tecnicamente inferior à Bélgica (e com a 3ª menor média de idade entre os elencos da Copa – 26 anos), mas não menos poderoso, tendo o artilheiro Harry Kane (Tottenham-ING) no comando de ataque. As outras duas vieram só pra assistir, no entanto o Panamá chega após fazer história, debutando em Copas do Mundo e eliminando a seleção dos Estados Unidos nas eliminatórias da CONCACAF (detalhe: ainda em relação à média de idade das seleções, o Panamá tem a maior média: 29,6 anos).

 

GRUPO H (Colômbia, Japão, Polônia e Senegal)

Temos aqui um grupo da morte? Parece que sim! Dentre as seleções do último – e não menos importante – grupo da Copa do Mundo, a Colômbia é favorita à liderança. Já a segunda vaga promete uma disputa muito acirrada entre três seleções, digamos, medianas. Enquanto Polônia e Senegal são encabeçadas por craques do futebol atual (Robert Lewandowski e Sadio Mané, respectivamente), o Japão não possui essa mesma sorte, ainda que tenha alguns bons nomes em seu elenco, como Shinji Kagawa, Yuto Nagatomo e Gotoku Sakai. Que comecem os jogos e essa seja mais uma Copa para ficar na história!