Olhar Atual

Ex-assessor da Primeira-dama de SP é morto ao ser confundido com um policial

O assessor da CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), Roberval Andrade Nucci, morreu na manhã dessa quarta-feira, dia 07 de setembro, após ser baleado na cabeça durante assalto. Os bandidos confundiram um porta-documentos que a vítima usava amarrado à perna com um coldre de arma, comumente usando por policiais e mataram Roberval diante da esposa.

imageNucci trabalhava no marketing da CPTM há 30 anos e trabalhou como assessor direto da primeira-dama Lu Alckmin.

Desde o primeiro governo Mario Covas, o PSDB tem se caracterizado por uma desvalorização dos policiais militares, não só com um dos mais baixos salários da categoria no Brasil, como por uma série de medidas que representam uma falta de apoio à corporação. Quando governador, Covas chegou a afirmar que não gostava da polícia pois havia passado boa parte da vida fugindo dela, referindo-se aos tempos de combate ao regime militar.

Por exemplo, um PM que, durante confronto, atira e mata um bandido é automaticamente afastado das ruas e tratado como culpado, inclusive com avaliações psicológicas, até que um processo interno o absolva. Ou seja, ao contrário do que manda a lei, ele é culpado até que se prove o contrário.

Nos últimos anos, os policiais militares têm sido caçados e impiedosamente assassinados pelos bandidos, somente por serem policiais. Os fracos governos do PSDB nada fizeram para impedir isso ou até mesmo propor, no Congresso, uma lei semelhante à existente em outros países, onde a morte de um agente público possuir agravante na pena. Ao contrário, qualquer medida mais enérgica por parte da PM sempre tem a crítica e promessas de punição por parte dos governantes de São Paulo.

Agora, numa cruel ironia, um funcionário público que foi tão próximo à mulher do Governador, tem sua vida sacrificada exatamente como centenas de policiais. Ao contrário desses inúmeros casos, a imprensa agora dá uma atenção especial, não só pela proximidade da vítima à primeira-dama, como pela confusão que levou ao assassinato.

Se há décadas, os governadores PSDBistas tivessem agido corretamente, esse crime poderia não ter ocorrido.