Direita no Brasil – Ponto de vista

1.180

A Direita no Brasil ainda é incipiente. Existem inúmeras razões para isso. Uma delas e, creio eu, a principal, é o fato de a Direita ser associada com a o período do Regime Militar no Brasil, cujas características vêm sido deturpadas ao longo dos últimos anos no Brasil com a doutrinação ideológica de esquerda nas escolas.

A pequena expressão da Direita nos dias de hoje também tem origem nas políticas populistas dos últimos anos, desde o governo Lula, com redução inconsequente de juros, endividamento das classes mais pobres, com comprometimento de até 50% da renda, ausência de planejamento financeiro, isso sem contar os diversos auxílios (bolsas, programas, etc.), que são claramente usados com fins eleitoreiros.

Obviamente o discurso socialista/comunista é muito mais bonito. Você não precisa necessariamente trabalhar para ganhar dinheiro. Suas conquistas não dependem de você. O mérito é apenas um algo a mais naquilo que o Estado deve prover ao cidadão. A interferência do Estado na vida do sujeito beira a divindade. Todo mundo, em tese, tem igualdade financeira. Em tese. O que vemos, na prática socialista ao redor do mundo, é que um grupo pequeno (invariavelmente representado pelo Estado), é detentor de todos os recursos financeiros, ou de boa parte deles, enquanto a população em geral divide a pobreza ou a quase pobreza entre seus componentes. Vemos claramente isso em Cuba.

A classe representada pelos apoiadores do governo também tem seus benefícios. Podemos ver claramente exemplos no Brasil, com alguns cantores, atores, artistas famosos, outros nem tanto, mas todos com gorduchas verbas recebidas do governo para divulgarem seu trabalho e seus shows, desde que defendam as arbitrariedades defendidas pelo governo.

Enquanto isso, a Direita luta por uma sociedade em que o livre mercado seja estimulado, com distribuição o mais justa possível de renda, ou seja, quem trabalha, ganha. A Esquerda proíbe o armamento civil, talvez temendo uma revolta da população. A Direita estimula o armamento civil. A Esquerda aparelha o Estado. A Direita tende a reduzir a intervenção do Estado. Obviamente tudo isso em termos gerais, pois há os extremos em ambos os lados.

No entanto, aguardamos ansiosamente uma maior expressividade da Direita no Brasil, que atualmente não tem um Partido Político forte, mas sim políticos isolados, mesmo alguns tendo bastante representatividade popular.