O Governo realmente ajuda os pobres?

1.782

“A função do Governo é manter sua própria existência.”

Intrigado? No final do artigo você vai entender.
Uma das maiores propagandas do governo é que ele deve ter uma função social para ajudar os cidadãos mais carentes, mas até onde isso é verdade?

Vamos deixar bem esclarecido logo no começo que este artigo não está pedindo o fim do estado e sim cobrando a sua função original que é fornecer os serviços básicos com eficiência

Impostos e o pobre.

Não importa qual seja o país, o pobre sempre será o mais afetado pelos impostos, diretamente ou indiretamente. O Estado não é mágico e nem tem uma *cornucópia de onde todos os serviços são abastecidos vindos do nada. O estado tem três formas de receita:
IMPOSTOS E TAXAS. (Pegando dinheiro do povo)
DIVIDA PÚBLICA. (Emprestando dinheiro do povo)
IMPRIMINDO DINHEIRO. (Diminuindo o poder de compra e aumentando a inflação)
Dessas, a principal é fonte é o imposto. No Brasil boa parte dos impostos são indiretos e estão embutidos nos produtos. vou só citar alguns para exemplo( a lista completa pode ser encontrada no site da FIEP).
Os produtos de cesta básica que normalmente são usados para medir a inflação tem impostos menores de 17% mas os demais pode bater 89% de imposto. Produtos como medicamentos tem 34% em impostos ( um remédio de R$ 100,00 tem R$ 34,00 reais de impostos.) O estado reclama que os pobres não tem acesso a bens de consumo, casa própria mas não revela por exemplo que um tem Playstation 72% uma TV 45% , Celular 40%, moto 65% e carro popular 38%. Também reclama de acesso a casa própria mas cobra 48% de imposto numa casa popular.
Nos serviços a facada também é pesada: Luz: 48% de imposto, agua 24% e telefone 46%, serviço de internet e TV a cabo 46%.
Com o aumento da luz em mais de 80% em 2015 de 100 reais na conta de luz R$ 48,00 são de impostos. Países de primeiro mundo como a Alemanha por exemplo cobra em média 3% sobre produtos, não restringindo o acesso da população a esses produtos, você pode consultar os países e o imposto sobre produtos aqui.

O imposto age diretamente no poder de compra quanto mais impostos e taxas você paga MENOS poder de compra você tem.

O trabalho e o Pobre.

Outra bandeira levantada principalmente pela esquerda para aumentar o estado é que os pobres ganham pouco ou não tem condições para abrir empresas.
MITO.

Primeiro vamos supor que uma pessoa queria começar um negócio. Abrir uma empresa no Brasil demora em média 109 dias! até ele regularizar não pode exercer o serviço ou qualquer um dos órgãos regularizadores do estado vão fechar o seu negócio. E custa 2.9 mil horas de imposto. Claro que uma pessoa com poucas posses vai pular essa parte e partir para o simples como vender frutas, produtos importados ou alimentos como sanduíches, café bebidas, etc. Mas o Governo que diz que quer te ajudar normalmente manda agentes do estado para apreender a mercadoria, em cenas absurdas onde os agentes do Estado agridem ou chegam a matar como foi no caso deste camelô.

A burocracia ajuda quem tem dinheiro. Quem tem tempo para perder no vai e vem dos órgãos públicos e consegue todas as licenças para poder operar de acordo com a lei. Recentemente o governo começou a cobrar impostos mais severos para lojas virtuais e sites de compra e venda de produtos ocasionando no fechamento de uma empresa por minuto no Brasil como mostra a reportagem do jornal o Tempo da jornalista Juliana Gontijo.

(…)A mudança no recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) – que começou a valer desde o dia 1º de janeiro – está gerando o fechamento de uma empresa por minuto no Brasil. A informação foi dada por representantes de entidades ligadas ao comércio e às micro e pequenas empresas, na reunião desta quarta com técnicos do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), no Ministério da Fazenda.(..)

Se a pessoa não consegue empreender, ela passa depender de salário recebendo de quem conseguiu empreender. O que não é uma coisa ruim, afinal em regime CLT(Consolidação das Leis do Trabalho), o governo criou várias leis para te defender. Mas essa defesa não vem de graça. O custo de um funcionário pode chegar a 80% a mais do valor do seu salário fora o custo da empresa com horas de burocracia para gerenciar todos os procedimentos e regras da CLT. Não adianta repetir o mantra que se não fosse o governo o empresario ia te comer com batata, pois em vários países como a Inglaterra, por exemplo, não existe CLT e o salário é bem mais alto. Nossa leis trabalhistas foram baseadas na carta do trabalho(Carta del Lavoro) da Itália fascista de Mussolini. Deixa o empresário e o funcionário engessados num sistema arcaico. Um dos maiores problema da CLT é em momentos de crise onde esses 80% a mais por funcionário pesam muito para uma empresa operando ao mínimo do funcionamento.

Impostos e mais impostos com uma cobertura de regulações.

Sem emprego e não conseguindo empreender o cidadão as vezes parte para uma situação de rua onde ele depende de atividades como bicos e reciclagem. Mas não é uma coisa muito rentavel por aqui como acusa o diretor executivo da Abralatas, Renault Castro, que tem a impressionante marca de 98% de reciclagem do seu produto. Castro reclama de pagar 12 vezes o mesmo tributo por ano causando um encarecimento do material, valor que poderia passar para o catador, hoje no Brasil a força de trabalho envolvida em apenas de recolher latas é de 251 mil pessoas.

“O ciclo de uma lata de alumínio é de 30 dias. Ela sai da gôndola do supermercado, é consumida, descartada, coletada, reciclada, vira novamente uma lata e volta para a gôndola em 30 dias. E toda vez que volta, paga o mesmo imposto. Ou seja, o consumidor paga 12 vezes por ano imposto sobre o mesmo material”, argumenta Renault. “Não queremos privilégio. Queremos, no mínimo, um tratamento tributário isonômico em relação a outras embalagens que, hoje, pagam menos impostos que a lata”

-Castro, Renault. Diretor Executivo Abralatas.

São diversas as regulações em cima da reciclagem que acabam encarecendo a produção e tornando ela pouco rentável para quem trabalha com reciclagem apenas recolhendo material.
Pode parecer hilário mas as regulações atrapalham até aqueles que desejam dar atendimento gratuito para a população carente como foi o caso do veterinário Ricardo Fehr Camargo. Camargo e sua esposa começaram um projeto para atender animais de pessoas carente dando consultas gratuitas, já que eles não tinham condições de pagar por um veterinário. Ledo engano. Logo após começar os tratamentos o veterinário foi visitado por um fiscal do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP) que proibiu o projeto e abriu um processo contra o profissional. Regulações, impostos em cascata e vários empecilhos dificultam o cidadão de gera renda e contribuir para sociedade. Mas isso tudo tem um motivo bem simples. Como disse no começo do artigo: A função do estado é garantir a própria existência.
Se até agora você não captou eu explico:

Se você não tiver opções, vai depender do estado para sobreviver, que obviamente vai criar serviços e ficar maior! Se você não consegue receber um bom salário, não consegue empreender e ainda não tem acesso a bons estudos (ensino básico sucateado que não é voltado a profissões), só lhe resta depender cada vez mais e mais de serviços estatais, que vai cuidar de cada vez mais restringir suas liberdades e poderes, para se opor a ele. Afinal o estado controla a Lei, controla a polícia, controla e regula empresas  o que deve ou não ser ensinado, vendido ou produzido. O estado não ajuda os pobres o estado PRECISA de pobres. Políticos conseguem votos prometendo coisas que nunca vão cumprir, provando o significado literal da palavra Demagogia e guiando o povo para uma falsa sensação de escolha e por fim criando tentáculos cada vez maiores e mais profundos. O medo maior de políticos e estatistas é ver a população dependendo cada vez menos deles e podendo gerenciar seu próprio futuro. Mas isso só é possível com liberdade . Hoje caminhamos para 40% do PIB em impostos sem melhoras nos serviços, ao contrário, cada dia o governo anuncia um novo serviço que obviamente será mantido com mais impostos que limitam cada vez mais o poder de compra.
No site impostômetro é possível fazer o calculo de quanto você paga de tributo. A média de um assalariado médio é de 58% do seu poder de compra, mas caso a pessoa tenha filhos esse valor pode subir ainda mais. Chega até a ser cômico o governo levar R$ 510,40 do salário minimo (R$ 880,00) em impostos te dar R$ 70,00 reais de Bolsa família e dizer que está te ajudando. Mas o pesadelo está longe de acabar, impossibilitado de manter todos os serviços o governo está aumentando os impostos embutidos aumentando a carga para todos os trabalhadores e diminuindo ainda mais o poder de compra do cidadão. E com a cara lavada dando a desculpa que é para manter serviços para a população, mas em nenhum momento falaram em cortar cargos e salários dos funcionários públicos ou algo sobre os 600.000 cargos comissionados o maior numero do mundo. Já os funcionários privados não tiveram essa sorte pois agora podem ter sua carga de trabalho e salário reduzido, e ter a triste noticia de   ter pago pelo direito ao seguro desemprego mas foi cortado pelo governo. Enquanto isso a ex-governadora Roseana Sarney recebe uma aposentadoria vitalícia de quase 48 mil reais com direito a 5 funcionários e um carro a disposição, para o resto da vida. E o pobre paga mais imposto para manter isso.

Como diria o jornalista Boris Casoy:

f3weth

*cornucópia
substantivo feminino
1.mit vaso em forma de chifre, com frutas e flores que dele extravasam profusamente, antigo símbolo da fertilidade, riqueza, abundância, e que, hoje, simboliza a agricultura e o comércio [Us. tb. em ornatos arquitetônicos, floridos etc.].

2.p.ext. qualquer fonte de riqueza ou felicidade.