O Erro de Marx. A verdadeira revolução virá pelo livre mercado.

453

Começo com uma parte do artigo do vice presidente da Havas Media, Tom Goodwin:

Uber, a maior empresa de táxi do mundo, não é dona de nenhum veículo.
Facebook, maior criador de conteúdo do mundo, não cria conteúdo.
Alibaba, o varejista mais valioso, não tem nenhum estoque.
Airbnb, a maior fornecedora de alojamento do mundo, não possui nenhuma cama .

“Algo interessante está acontecendo.”

Desde a Revolução industrial, o mundo desenvolveu cadeias de suprimentos complexas, desde designers para fabricantes, dos distribuidores para os importadores, é o que permitiu que milhares de milhões de produtos a serem feitos, enviados, comprados e apreciados em todo o cantos do mundo. Nos últimos tempos, o poder da Internet, especialmente o telefone celular, desencadeou um movimento que está rapidamente destruindo essas camadas e movendo-se de energia para novos lugares.

“A Internet é o mecanismo mais poderoso que podemos imaginar para combinar perfeitamente os indivíduos que precisam de algo, e as pessoas com algo a oferecer. “

A revolução está acontecendo.

Conexão. Está é a palavra mais usada nos ultimo vinte e cindo anos por todas as empresas que correram para se adaptar ao novo modelo de mercado. O mercado de indivíduos.
Nunca na história da humanidade o esforço pessoal contou tanto para o sucesso. hoje é é evidente que o modelo empresarial adotado desde a revolução industrial deve ser revisto para não ser extinto. Graças a conexão entre indivíduos proporcionada pela Internet e reforçada pelos Smartphones um novo mercado surgiu onde empresas fantásticas com serviços inovadores surgem a todo momento ou a mais simples tarefa de oferecer seus serviços pela rede é possível sem muitos intermediários. Muitas das  maiores empresas do momento surgiram nos últimos vinte anos e estão todas ligadas a Internet, como a gigante Google que hoje já dita a vida quase metade da população do planeta com algum de seus serviços ou a maior empresa de hospedagem do momento a Airbnb que permite que qualquer pessoa possa colocar um espaço ocioso de sua casa para locação e já é usado em mais 190 países e foi criada em 2008. A briga que estas empresas estão enfrentando não é somente com o velho mercado e corporações mas principalmente contra o Estado. Regulações rígidas, impostos altos estão tentando segurar a revolução do mercado individual. Aqui no Brasil o golpe mais recente foi a alteração na Planilha de recolhimento do ICMS , onde o empresário tem que dividir o imposto entre o estado de origem e o de destino tornando o serviço custos e burocrático demais para micro empresas como as novas carvejarias artesanais que estavam surgindo aos montes nos últimos anos e ganhando espaço e criando lojas especializadas em todo o Brasil. O  serviço se tornou tão complexo, que depois da alteração no imposto 1 microempresa fechava por minuto como declara o presidente do SEBRAE:
“Micro e pequenas empresas estão fechando. Uma empresa por minuto está sendo fechada”
Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae.

O Erro de Marx.

O Velho judeu bem que tentou afirmando que a revolução do proletariado ia ocorrer pela estatização das empresas e elas seriam controladas pela sociedade. Porém ela veio através do próprio capitalismo, o modelo de negócios mudou, e hoje cada um pode prestar serviço a quem quiser em vários setores, e a cada dia surge uma nova maneira de empreender. Sem mortes sem conflitos de classe, sem bandeirinha vermelha. A ideia de socializar empresas acaba limitando a criatividade humana que é o motor que traz a prosperidade. A capacidade de desenvolver novas soluções, de enxergar novos mercados, e mudar o mundo vem do individuo. Caminhamos para um novo mundo onde os serviços são descentralizados, o conhecimento é compartilhado no formato digital, chegando aos poucos em todos os cantos do mundo.

Indivisível, Inviolável, individual.

Várias ideologias coletivistas visam extrair o melhor do ser humano que é a sua individualidade. Com o pretexto de comunidade onde todos seriam iguais que não haveria fome e desigualdade o preço é a individualidade onde toda a vida do ser humano seria determinada pela comunidade, onde seriam apenas peças para apenas manter o sistema funcionando apagando qualquer traço de criatividade de suas mentes. É claro que tal sistema nunca funcionou em larga escala, salvo em comunidades pequenas ou tribos, mas mesmo nesses lugares quem não se adaptava preferia tentar a sorte em outro lugar. Esse é um dos motivos de que toda a vez que tentam entrar num regime socialista a primeira coisa a fazer é proibir as pessoas de sair do pais, controlar a mídia, os livros e o sistema educacional, mas em todas as vezes o fracasso é eminente e o individual sempre triunfa.

A revolução é inevitável.