Não seja bobinho

441

“Fui acusado de ter realizado prisões ilegais, de ser um agente secreto sob ordens da CIA, de ter provocado suicídio de pessoas presas, de ter feito a operação para destruir o sistema dos partidos, de estar envolvido eu mesmo em atividades ilegais e assim por diante.”

Di Pietro, Antonio. (Promotor italiano, responsável pela operação mãos limpas em entrevista da BBC.)

Novamente a tática da desinformação volta a circular nas redes sociais. Soltar questionamentos de primeira camada para o público leigo em uma determinada área para usar o senso comum a favor de um objetivo.

A desinformação jurídica, por exemplo, funciona de forma efetiva na questão de levantar desconfiança nos investigadores no publico comum usando de informações falsas ou omissões oportunas. Afinal num julgamento publico o importante é convencer o júri popular que em sua maioria não conhece os meandro jurídicos e nem precisaria, afinal, a maioria dos que estão ali são pessoas comuns de vários setores da sociedade. E não existe coisa mais fácil do que um especialista enganar um leigo, quem nunca foi enganado em uma compra sem ler um contrato ou até mesmo por um mecânico ou técnico charlatão?
Não estou dizendo que todo técnico, vendedor ou até mesmo médico é charlatão e sim que por ser especialista em uma coisa que você não é ele tem duas coisa que você não tem:

  • Conhecimento
  • Experiência

Quando ele te explica o serviço ou o produto ele só precisa que você saiba o suficiente para concordar com ele omitindo, distorcendo ou em alguns casos até mentindo descaradamente, mas como ele é o especialista, normalmente é normal você depositar uma confiança.

“A mentira é como um quarto escuro, ao acender a luz tudo é esclarecido.”

E para acender nossas luzes temos vários canais:

  • Pesquisar o assunto
  • Consultar outros profissionais
  • Criar filtros

Ao descobrir que foi enganado uma pessoa comum tem o dever de informar as autoridades pare ser reparado, alertar outras pessoas para que elas criem filtros contra essa desinformação.E esse profissional deve ser marginalizado. Mas isso não acontece com fanáticos ideológicos por exemplo.
Fanáticos são extremamente tolerantes a serem enganados pois na mente deles abalaria suas crenças então preferem fazer vistas grossas ou fingir que não aconteceu nada.

A guerra da desinformação

Devido ao sucesso da operação Lava jato que está chegando no núcleo político do Brasil, a guerra da desinformação se concentra na difamação da operação e do Juiz Moro. Fatos parecido do que aconteceram na Itália durante a operação mãos limpas (Mani pulite no original). Nessa operação a justiça caçando corruptos e mafiosos foram expedidos 2.993 mandados de prisão onde 6.059 pessoas estavam sob investigação, incluindo 872 empresários, 1.978 administradores locais e 438 parlamentares, dos quais quatro haviam sido primeiros-ministros . A Lava jato ainda não chegou nesses números, mas está caminhando para o mesmo problema de quando a mãos limpas chegaram no congresso. Os partidos de esquerda fizeram uma enorme publicidade para tentar se safar da investigação tentando manipular a  opinião publica. A maior denuncia é que a KGB ( Inteligência Soviética) tinha patrocinado os partidos de esquerda com mais de quatro milhões de dólares durante a guerra fria, e isso incluía a impressa social democrata, obviamente para manter a opinião pública no cabresto. Aposto que a ultima frase te fez lembrar alguns blogs e sites militantes. Como puderam ver a guerra de desinformação é bem comum da esquerda onde eles acusam as provas e tentam ao máximo parar as investigações.

A justiça brasileira  e o caminhão de privilégios

As frases mais comuns contra as investigações focam em três pontos:

  • Investigação seletiva
  • Perseguição política
  • Abuso de poder

E partem sempre dos mesmos lugares e sempre partindo da desinformação, sabendo disso vou desmembrar cada acusação e mostrar onde eles mentiram ou omitiram para você.

Porque estão investigando só agora? É perseguição política, é golpe.

Não amiguinho, você foi enganado

Segundo a constituição( artigos 57 e 59) crimes de responsabilidade cometidos por funcionários públicos não devem ser julgados pela esfera comum. Estes devem ser denunciados ao STF, e caso a denuncia seja aceita é criada uma comissão para apurar e instigar as denuncias. Essa comissão é a conhecida CPI. Então não cabe a POLICIA FEDERAL E AOS JUÍZES DE PRIMEIRA INSTÂNCIA investigar e julgar crimes de estatais por exemplo.
No caso da Petrobras por exemplo todas as CPIs foram arquivadas sem encontrar nenhum problema, isso em qualquer governo até mesmo no governo de Dilma.

Vamos explicar bem resumido, para você entender:

Os crimes de estatais que envolviam políticos e funcionários públicos eram julgados pelos mesmos. Era como chamar a raposa julgar raposas que invadiram o galinheiro. Então sim foi investigado mas foi acobertado pelo estado. Porque agora?

Porque o Juiz Moro, foi inteligente em manter o caso relacionado ao lava jato denunciado pelo empresário Hermes Magnus em 2008, fazendo isso a PF manteve a investigação na 1ª instância pois o comercio não era estatal. Por isso que ele conseguiu prender empreiteiros, funcionários exonerados e políticos sem foro.

Ele grampeou a Presidente isso é ilegal. A divulgação dos grampos foi ilegal.

Não amiguinho, errou feio errou rude. Grampos são autorizados pela lei e devidamente protocolados pela polícia federal. O levantamento do sigilo é feito somente por autorização do Procurador geral da republica, no caso Rodrigo Janot, e não por Moro como acusam. E foi assim que ocorreu:

“Pelella, que integra o grupo da PGR que apura o envolvimento de políticos com o petrolão, informou a Janot, que está em viagem pela Europa. “Foi avisado de que a interceptação ia ser encerrada e dissemos apenas que Curitiba deveria seguir o padrão até então, que é de dar publicidade aos autos quando as investigações se encerram”, disse o chefe de gabinete de Janot. “

Como dito pelo Próprio Janot após o fato:

1. Ele foi avisado e permitiu a divulgação.
2. O padrão da Lava jato é divulgar logo depois de encerrada.
3. As gravações são lícitas pois a regra é que pessoas que gozam de foro não podem ter seus telefones grampeados, o que de fato não foram. Foram as pessoas de Foro (Jaques e Dilma) que ligaram para o alvo.

Além disso, o caso já tem jurisprudência baseado no caso do ex senador Demóstenes Torres nas operações “Vegas” e “Monte Carlo” da polícia federal. Nessas operações que investigavam o bicheiro Carlinhos Cachoeira, e o ministro da  Justiça da época José Eduardo Cardozo:

“Ninguém nunca investigou objetivamente os parlamentares. Estava-se investigando o empresário Carlinhos Cachoeira. Agora, se parlamentares conversam com ele, o problema é outro.”

Agora quando acontece o mesmo, só que com um aliado, Cardozo muda o discurso, falando que foi ilegal. Tenha vergonha ministro! É engraçado como a Presidente e seus asseclas acham que o povo é idiota. Repetem mentiras causando uma vergonha patética. No mundo jurídico ou você apresenta provas concretas do que fala ou são apenas palavras jogadas ao vento, no máximo aplaudidas por militantes.

A globo comprou o conteúdo dos grampos.

Não. Errou de novo. Os grampos e os processos ficam disponíveis para visualização, e é um padrão da operação lava jato desde que ela começou. Além disso, toda a imprensa foi avisada não só a Globo.
A PF tem um canal de assessoria onde é avisado qualquer alteração no processo: http://www.pf.gov.br/agencia/assessoria 

Agora o que ninguém fala é como o Lula e outros sabiam que telefones estavam grampeados e quando o grampo ia sessar. Conforme dito no grampo do Rui Falcão e o telefonema da Dilma ter sido feito logo após o Moro solicitar o encerramento do grampo. Por sorte a Operadora só termina de gravar após receber a intimação o que demorou algumas horas e a gravação pegou a ligação de Dilma para Lula. O que foi uma grata surpresa.

Desmoralizar a investigação, a polícia Federal ou o Juiz Sergio Moro por eles estar prendendo corruptos e outros criminosos, te faz tão criminoso quanto aqueles que você defende. Não seja bobinho.

Acompanhe a operação Lava jato e outras investigações pelo site oficial do Ministério publico:
http://www.combateacorrupcao.mpf.mp.br/