Lula ministro, o golpe verdadeiro

521

Desde que uma parcela crescente da população começou a pedir o impeachment da Presidente Dilma, os apoiadores do Governo petista passaram a utilizar um “mantra”, chamando esse movimento de “golpe”. Obviamente, como tudo que vem da Esquerda, a acusação se refere muito mais ao comportamento e desejo desses apoiadores do que daqueles que protestam.

Exceto por uma ínfima minoria, nenhum manifestante pede um golpe de Estado, com derrubada do Governo pela força, mas o uso de mecanismos legais, previstos para o exercício da democracia, para destituir um governante que se mostra indigno de ocupar seu cargo. Todas as tentativas de iniciar um processo de impeachment da Presidente foram feitas por juristas e encaminhadas pelas vias legais. Como chamar isso de “golpe”?

Por outro lado, Dilma se beneficia de ter um carisma negativo. As pessoas não estao satisfeitas com seu governo, mas atribuem isso a uma incompetência ou até mesmo falta de recursos intelectuais da Presidente. Isso é um grande engano! Na faculdade, eu tinha um colega que estava sempre nos colocando em situações desagradáveis. Mas alguns colegas alegavam que ele fazia isso por ser burro (sim, existem pessoas burras cursando medicina. Mais do que se imagina). Até que, um dia, um outro colega comentou que, se ele realmente fosse burro, não só nós, mas ele também seria prejudicado. Porém ele nunca se prejudicava. Ou seja, ele não era burro, mas sacana…

O mesmo se aplica a Dilma. Alguém realmente acredita que uma criatura tão sem noção, tão limitada, mesmo após ter mentido descaradamente para ser reeleita, feito as mesmas coisas que acusava seu opositor de pretender fazer, ter passado a ter somente 7% de aprovação, ter auxiliares diretos envolvidos em escândalos, ter o Presidente da Câmara contra seu governo, ainda se mantém no cargo após mais de um ano? Ela é extremamente competente naquilo a que se propõe: imitar em tudo, no Brasil, o curso da economia e da política já implantados na Venezuela. Basta ler notícias sobre esse país vizinho há 5 anos e veremos noticias do Brasil atual. Pode parecer teoria da conspiração acreditar que um governante deseja destruir um país, mas vendo o que Cristina Kirchner e Chavez/Maduro fizeram em seus países, concluímos que isso é a mais pura realidade.

E, enquanto os petistas e simpatizantes nos acusam de “golpistas”, um golpe verdadeiro parece estar prestes a ocorrer. O ex-presidente Lula está para ser anunciado como novo Ministro de Dilma.

Não caia na conversa de jornalistas comprados para divulgar versões oficiais ou que, no fundo, apoiam o atual Governo. Lula não foi chamado para resolver nenhuma crise, melhorar a popularidade do Governo, melhorar a articulação política, etc. Ele pressionou o Governo a ser convidado após o susto que levou por ter sido conduzido coercitivamente para depor. Por sua megalomania, Lula nunca acreditou que poderia ser tratado como um cidadão comum. Sempre achou que o Brasil se levantaria contra qualquer tentativa de puni-lo. Por isso nunca se furtou a falar publicamente que mentia sobre dados ao criticar o Governo FHC ou como o PT havia infiltrado a Igreja Católica. Esses videos estão aí, públicos, pois ele nunca teve pruridos morais de falar isso.

Mas a condução coercitiva veio mostrar que o juiz Sérgio Moro não faz distinção entre pessoas. Isso aterrorizou Lula. Principalmente após as pífias demonstrações de apoio que recebeu, regadas a mortadela ou churrasquinho de gato…

E para quem acredita em Jaques Wagner, que disse que não importa se Lula se tornar Ministro, pois ele “somente” passará a ser processado pelo Supremo Tribunal ao invés de pelo juiz Moro, lembramos que DUAS gravações já foram feitas onde petistas afirmavam que tinham como manipular o STF. A primeira afirmação, feita pelo senador Delcídio do Amaral e a segunda, fresquíssima, pelo Ministro Aluísio Mercadante. Como acreditar que Lula seria julgado de forma justa por um tribunal que já se mostrou tão parcial?

Algumas pessoas já estão estudando formas de reverter esse golpe, seja questionando na Justiça a indicação de Lula, seja propondo uma greve geral contra a indicação. Mas a verdade é que Lula só não aceitará o “convite”, que exigiu ser feito, se ele realmente acreditar que isso não adiantará nada. Alegações de que ele estaria preocupado com outros membros da família são uma bobagem. Lula tem um perfil psicológico de quem não se importa com mais ninguém, exceto consigo mesmo. A transferência da culpa por irregularidades na fundação que leva seu nome a seu auxiliar Okamoto já provaram isso.

A boa notícia é que, após essa indicação. Se Lula realmente aceitar, ninguém mais poderá alegar que confia nas boas intenções de Lula ou do Governo. O Brasil só estará separado em dois grupos: as pessoas corretas e um grupinho que defende qualquer imoralidade para se manter no poder.