A crença da mídia nas virtudes de Lula

217

Que parte da imprensa é claramente favorável às ideias de Lula, do Partido dos Trabalhadores, ou do PSOL, ou até mesmo de partidos de esquerda ainda mais radicais, isso é conhecido de todos nós.

Mas, dentro de uma pequena parcela da imprensa ainda existem profissionais aparentemente bem intencionados e que são críticos em relação ao modo como o PT governa, às inúmeras provas de corrupção e que não mostravam nenhuma simpatia pela manutenção do governo Dilma.

Porém, dentro dessa mesma parcela da imprensa noto um comportamento que, ao meu ver, denota uma ingenuidade ou até mesmo um sinal de que, mesmo nesta parcela de jornalistas, a doutrinação ideológica fez estragos.

Para citar dois exemplos, vou lembrar de um comentário da rádio CBN quando existiam rumores de que Dilma poderia nomear Lula ministro para que ele adquirisse foro privilegiado e escapasse das mãos do juiz Sérgio Moro. A rádio CBN vinha tendo uma postura bastante crítica em relação ao governo Dilma, com críticas contundentes a uma série de erros na política econômica, que levaram à crise que ainda persiste. Também era comum ouvirmos jornalistas e comentaristas da rádio denunciando descobertas de mais esquemas de corrupção envolvendo o PT.

Mas, quando correu o boato sobre a possibilidade de Dilma nomear Lula ministro, um comentarista afirmou que duvidava que Lula aceitaria esta solução, pois vários membros da sua família estavam também envolvidos e essa nomeação só protegeria a ele e não a sua esposa e filhos. Na época, eu me espantei com o comentário, pois qualquer pessoa que conheça um pouco de caráter, sabe que pessoas como Lula seriam capazes de pisar na cabeça da mãe para se salvar. O tempo só veio provar que eu estava certo. Lula aceitou a nomeação, porém a estratégia de Moro ao divulgar o áudio sobre o “Bessias” fez com que o STF suspendesse a nomeação. A falta de caráter de Lula foi comprovada mais uma vez após a morte de sua esposa, quando ele passou a utilizar do nome dela para se isentar da responsabilidade sobre o triplex.

E a falta de de compreensão do verdadeiro caráter de Lula voltou a se manifestar nesse episódio da sua resistência à prisão. Acompanhei todo processo através da BandNews, porque uma TV custa muito caro e eu tenho certeza que, se eu ouvisse alguém na GloboNews dizer que Lula se entregar à justiça era um ato de grandeza, eu poderia quebrar a TV.

A cobertura da BandNews foi muito correta, com comentaristas bastante isentos, que comentavam de forma técnica. Porém, o tempo todo o que vi foram jornalistas experientes, portanto que deveriam conhecer o tipo de canalha que Lula é, acreditando piamente que ele iria se entregar no prazo determinado por Moro e até mesmo, no sábado, repetir várias vezes que Lula teria tentado realmente sair do prédio do sindicato e que foram os manifestantes que o impediram.

Para mim, é óbvio que todo o tempo despendido desde a chegada de Lula ao sindicato na quinta-feira até essa tentativa frustrada de sair, foi friamente calculado para dar tempo de juntar um número imenso de simpatizantes. E que, após um discurso verdadeiramente criminoso em que insuflou seus seguidores à violência e afirmou que por ele ele não se entregaria, dando uma mensagem de que era pra não permitirem isso, Lula pretendia mais uma vez desrespeitar a ordem de prisão. O que mudou a estratégia aparentemente foi uma ameaça de Moro de decretar sua prisão preventiva caso ele não se entregasse. Só por isso, Lula mudou sua decisão e saiu a pé justamente para posar cercado por seus fanático seguidores.

Com isso, o que vemos é que mesmo jornalistas que não tem a mínima dúvida de que Lula cometeu todos os atos de corrupção dos quais é acusado, apresentam uma crença no caráter que Lula nunca mostrou ter. É urgente que se jornalistas comecem associar o nome à pessoa: o corrupto e o líder carismático são a mesma pessoa.