A primeira vez que um Presidente ligou para o Teleton

338

O dia 10 de Novembro (sábado) foi simplesmente mágico, tanto para os que assistiram, quanto para os que serão amparados com as doações ao programa Teleton. Pela primeira vez, em 20 anos de programa de arrecadações de donativos para crianças portadoras de alguma necessidade especial, teve seu auge na programação, quando recebeu a ligação ao vivo do atual Presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro.

“Presidente, eu fico muito contente por receber um telefonema seu. Isso porque, nesses 21 anos em que faço o Teleton, é a primeira vez que um presidente me dá esse prazer. Então gostaria de cumprimentá-lo, de parabenizá-lo. Sei que o Brasil precisa de um presidente que tenha vontade de acertar e o senhor, nas primeiras medidas que tomou, já começou acertando”, disse Silvio Santos.

O ato é significativo, pois torna ainda mais popular o programa anual do sbt (Sistema Brasileiro de Televisão) — que recentemente entrou em uma nova polêmica, tudo por ter exibido o escopo reproduzido no período do Regime Militar, “Brasil, ame-o ou deixe-o”, e será ainda tema de publicação no meu perfil pessoal —, com a participação do político mais importante da atual conjuntura, isso pode repercutir em uma boa perspectiva, justificando a arrecadação recorde de R$30 Milhões de Reais, ou numa pequena delinquência desumana — para não dizer o pior —, de boicote ao programa pela simples participação de um político não preterido pelas suas escolhas ideológicas.

O único pedido do Presidente, até mesmo aos que não votaram nele foi este:

“Eu agradeço por me atender. Sou um fã seu. Eu já acompanho o Teleton há um bom tempo. Realmente, é um reconhecimento muito grande da sociedade. E a grande contribuição que posso dar agora é pedir, respeitosamente, a quem votou em mim e a quem não votou também, que faça uma doação de pelo menos R$ 5, porque o trabalho de vocês é realmente fantástico”.

Mesmo com os lamentos de pouquíssimos que preferiram fazer algum tipo de boicote pela internet, que merecem nada mais do que o nosso menosprezo, o saldo final é extremamente positivo, esperamos que esse ato, iniciado por Jair Bolsonaro, possa ser uma tradição, ato este que sempre foi visto por tratar-se de uma sociedade solidária com o próximo, méritos também dos nossos valores cristãos, algo que a maioria tem em comum com o Presidente.