Com o fim das verbas fáceis para os blogs sujos, Esquerda apela para a criação de agência de notícias tendenciosas

560

Se existe um coisa que não se pode falar contra a Esquerda é que ela não tenha uma estratégia. Nisso ela dá de mil a zero na Direita. Durante os últimos anos do governo Lula e todo o governo Dilma, a Esquerda teve o apoio de uma constelação de sites e blogs sujos. Por que seriam sujos? Porque defendiam propostas de esquerda, apoiavam um governo corrupto e incompetente? Não! Isso faz parte da liberdade de imprensa. Eram sujos porque faziam isso às custas de dinheiro público, dado aos montes pelos governos petistas disfarçados de verba publicitária ou mesmo incentivo à cultura.

Porém, desde a reeleição de Dilma e as primeiras manifestações pedindo seu impeachment, a Esquerda viu – até mesmo antes da Direita – que poderia perder a boquinha e já tomou suas providências. Para isso, foi criada em agosto de 2015, uma agência de notícias chamada Democratize, ligada ao site esquerdista Medium. Para quem não sabe, “democratização da mídia” é o termo da novilíngua esquerdista para censura e controle da mídia dentro de uma agenda progressista, politicamente correta e de claro viés esquerdista.

Qual o motivo? Com a previsão de impeachment de Dilma ou mesmo da redução das verbas publicitárias devido à crise econômica em que o PT afundou o país, os sites e blogs viram que não teriam tanta facilidade para sobreviver e criar seus factoides. A centralização da fonte de artigos numa agência não só reduz os custos como dá às notícias um ar de seriedade e isenção. Afinal, “não somos nós que estamos dizendo, mas uma agência de notícia”.

Quem fazia antes esse papel era a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), como se viu quando a EBC divulgou que teriam ocorrido mortes na desocupação do Pinheirinho, em São Paulo. Quando se provou que a notícia era falsa, somente a EBC publicou um desmentido, mas todos os órgãos de imprensa que repercutiram a falsa notícia se calaram. Porém, como os esquerdistas são muito precavidos, viram que a primeira coisa que Temer faria seria desaparelhar a EBC, o que ele realmente tentou fazer, mas a Justiça o impediu. Criar uma agência permitiria não só que os sites e blogs sujos compartilhassem as notícias, como até jornalistas de sites da grande mídia poderiam espalhar as informações estratégicas.

E não é para menos que as “notícias” divulgadas por essa agência não passam de artigos opinativos, sem qualquer relação com a realidade ou simplesmente distorções de uma realidade.

Alguns exemplos de "notícias isentas" da nova agência.
Alguns exemplos de “notícias isentas” da nova agência.

A prova das intenções da nova agência são visíveis quando constamos que, nos primeiros 10 meses de existência, ela só existiu em São Paulo, reduto tucano, só abrindo sua filial no Rio quando Temer assumiu a Presidência e o PMDB, que governa no Rio, passou de aliado a inimigo.

A descrição dos objetivos da agência seguem aquele velho princípio da Esquerda: falar muito e não dizer nada. Essa é a autodescrição que eles divulgam: “O Democratize nasce com a intenção de ser uma terceira via ao jornalismo praticado hoje no Brasil, entregue ao monopólio de dois lados. Em forma de cooperativa, a intenção da rede independente é informar a população sobre o que acontece no país e no mundo, com um novo ponto de vista e uma nova abordagem.”

Não se diz qual monopólio de quais dois lados. Seria esquerda e direita? O simples fato de haver dois lados opostos deixaria de configurar monopólio, não é? E qual mídia de direita temos hoje aqui? A Veja, com sua campanha a favor de Freixo? Quanto a chamar a velha ideologia de luta de classes de “novo ponto de vista” só pode ser alguma piada.

Caberá aos leitores tomarem muito cuidado com a fonte das informações, que geralmente é citada no início ou fim das notícias, e simplesmente descartar mentalmente o que vier dessa agência.