Morre Cármen Hernández, fundadora do Caminho Neocatecumenal

471

Morreu, em 19 de julho de 2016, às 16h56, Cármen Hernández, fundadora do Caminho Neocatecumenal, caminho de evangelização criado por ela e por Kiko Argüello na década de 1960, começando em favelas de Madri e em outras comunidades pobres.

O Caminho Neocatecumenal também teve a ajuda do Padre Mário Pezzi que, junto a Kiko e a Cármen, criaram um percurso de formação católica ou fundação de bens espirituais’, uma forma atual da dinâmica das primeiras comunidades cristãs.

Nascida em Ólvega, depois de se formar em Química ingressou no Instituto das Missionárias de Cristo Jesus e obteve um mestrado em teologia. Tornou-se catequista entre trabalhadores imigrantes, na periferia madrilena, ao lado de Argüello, na década de 60.

O relacionamento de amizade entre ambos, ao qual se somou Padre Mario Pezzi, foi o alicerce da nascitura obra do Caminho Neocatecumenal. Da periferia de Madrid, parte para o anúncio nas paróquias; da Espanha passa à Itália e a ação começa a se organizar com um verdadeiro catecumenato pós-batismal.

Cármen estava doente há mais de um ano e meio, com piora considerável de seu quadro nos últimos meses, sem que se diagnosticasse nenhuma doença específica.

Sua última aparição pública foi em 18 de março de 2016, com o Papa Francisco.

O cardeal Stanislaw Rylko, o atual presidente do Conselho Pontifício para os Leigos, entregou do dia 13 de Junho de 2008 aos Iniciadores do Caminho Neocatecumenal, Kiko Arguello e Carmen Hernández, o decreto de aprovação definitiva dos estatutos dessa realidade eclesial.

O ato aconteceu às 11h na Sala Magna do Conselho Pontifício para os Leigos. O cardeal Rylko lhes entregou o decreto de aprovação, junto com o texto final dos estatutos. Depois, os membros da equipe apresentaram publicamente o texto, em uma coletiva de imprensa que aconteceu às 16h, na sede do Caminho Neocatecumenal em Roma.

Hoje existem 30 mil comunidades neocatecumenais em 120 países do mundo e somam cerca de um milhão de membros.

Em 1º de julho passado, o Papa recebeu Argüello e Pe. Pezzi no Vaticano e juntos, telefonaram para Carmen, em Madri, para encorajá-la, nos seus últimos dias de vida.

Seu funeral, de corpo presente, foi exibido pela internet através da 13tv.