Olhar Atual

Mudança de Dilma custou mais de R$ 60 mil para os cofres públicos

Em seu último dia em Brasília, a ex-presidente Dilma mudou sua rotina, não saiu para dar suas pedaladas como costuma fazer e se dedicou a encaixotar suas coisas.

Fontes do Palácio afirmam que, desde semana passada, Dilma tem dedicado algumas horas de seu dia para embalar seus pertences, e solicitou quatro grandes caminhões-baú para transportar sua mudança para Porto Alegre.

Quatro grandes caminhões do tipo baú chegaram na manhã desta terça-feira (6), ao Palácio da Alvorada, onde a ex-presidente faz os últimos preparativos para deixar a residência. (precisava deixar alguém lá de olho para ver se ela não está levando também algumas peças, quadros, utensílios ou até os móveis do Palácio, como parece ter ocorrido com seu antecessor)

A contratação de cada veículo, com capacidade para mais de 20 toneladas custou mais de R$ 15 mil reais aos cofres públicos. E ainda é possível que Dilma precise de mais caminhões, caso isso ocorra, a conta pode ficar ainda mais cara.

Segundo a impressa local, os caminhões chegaram ao palácio logo pela manhã e após uma breve verificação pela equipe de segurança foram liberados a começar os trabalhos.

Uma parte dos objetos da ex-presidente ficará em Porto Alegre, outra parte seguirá para um depósito alugado pela própria ex-presidente.

Esperamos que Dilma não leve por engano nenhum objeto pertencente ao Palácio e que deixe também os presentes recebidos de outros chefes de Estado durante os anos que permanecer ocupando a Presidência e que pertencem ao país e não ao ex-presidente.

Dilma deve se dividir entre Porto Alegre e Rio de Janeiro. Em Porto Alegre é esperado que seja recebida pela turma da mortadela e por outros movimentos ligados ao PT.

Henrique Rossi

Fundador da HR Idiomas, possui formação em Desenvolvimento Web e MBA em Gestão de Sistemas; Entre seus interesses estão a etimologia, linguística, tecnologia, lexicologia, genealogia, história e cultura.