Todos contra Neymar

Todos contra Neymar

361
Compartilhar

Logo após o título inédito para o Brasil, no qual “perder seria imperdoável”, as coisas mudaram de figura, o título “já não era nada importante”.

O que incomodou mesmo boa parte da imprensa e como era de se esperar a esquerda, foram os anúncios “religiosos” por parte dos jogadores da seleção olímpica, em especial, o centro dos holofotes, Neymar.

Eu e outros companheiros de direita, não poderíamos passar calados, ante tantos absurdos.

Ali após o jogo, a principal “polêmica” até então: Neymar no pódio, pega uma antiga faixa conhecida de sua época de Santos, escrito: “100% Jesus”.

Como sabemos a esquerda confunde o conceito de “laicismo” e quer acabar com atos e objetos considerados religiosos, em locais e eventos públicos. Na verdade, o que quer mesmo, é acabar com o próprio cristianismo, como sugere Antonio Gramsci em seus escritos.

Escrevemos em postagens portanto:

As minhas após o jogo:

“É uma enxurrada de posts na minha timeline sobre a “polêmica da faixa na cabeça do Neymar”. Absurdo! Coisas que não veríamos há bem pouco tempo!

Quanto de tempo vai durar até que o projeto de lei sobre retirar os dizeres “Deus seja louvado” das cédulas de dinheiro retorne?
Até quando pro projeto de que cruz e imagens cristãs sejam retirados de repartições públicas?

É mesmo o final dos tempos? Cristãos voltarão a ser perseguidos?
Por quê as mesmas pessoas que perseguem cristãos não perseguem muçulmanos que odeiam qualquer ocidental, “porque precisamos de tolerância e paz”?”

PS: No Movimento Conservador de minha cidade do qual presido, criamos uma capa de Facebook com os mesmos dizeres, 100% Jesus, em apoio ao Neymar.

jesus

“Boa pergunta que ouvi: Quando vão desmontar o Cristo Redentor? Acrescento: Há alguma maneira de apagar a imagem da constelação do cruzeiro sob o nosso céu?

Quanto tempo para retomarem o projeto de apagar “Deus seja louvado” das cédulas de real? Para proibirem que tenha qualquer cruz e imagem religiosa nas repartições públicas?

Se tudo isso ofende quem é ateu e oprime quem é de outras religiões, mesmo as que pregam o extermínio de cristãos como esses islâmicos (que aí são deixados em paz, diga-se de passagem), logo derrubar o Cristo não significará nada…”

cristo-redentor

Um usuário da rede social, do qual não me recordo, compartilhado na página do Silvio Grimaldo, escreveu:

“Neymar é radical demais para o COI. Ele deveria se comportar igual aqueles muçulmanos moderados que degolaram um padre na França.”

Pedro Henrique Medeiros:

“O próprio Jesus disse que, por causa de Seu nome, muitos seriam perseguidos.

Neymar segura essa bronca de boa, ele tem recursos. Deus sempre proverá, porque Ele é o nosso pastor, e nada nos faltará.

Nada de novo embaixo do sol, e o fato só prova, há dois mil anos seguidos e ininterruptos, que céus e terras passarão, mas a palavra Dele nunca passará. Segue o jogo.”

Cris Corrêa:

“Durante a cobrança dos pênaltis que decidiriam o ouro olímpico, foi possível ler os lábios do goleiro brasileiro Weverton que concentrado na defesa, repetia: “Em Nome de Jesus.” — A câmera flagrou sua súplica por várias vezes enquanto um a um, os jogadores alemães cobravam os pênaltis. Mesmo seguindo sem ter sucesso em suas defesas, ele seguiu concentrado, até que por fim, fez uma linda defesa. Neymar teve a chance de chutar, e aproveitou. A seleção brasileira conquistou um título inédito. No pódio, Neymar escolhe sua antiga faixa “100% Jesus”, que já causou tanta polêmica na Europa e grande desconforto entre os comentaristas da Globo. O goleiro, logo na primeira entrevista, solta: “Não foi o destino, foi Deus. Ouro é nosso, mas a glória é de Deus.”

Eu sinceramente não acho que Deus trate essas coisas supérfluas como prioridade. Ganhando ou perdendo, seja em um jogo bobo, ou na nossa vida, que por sinal é muito mais importante do que futebol, Deus continua sendo Deus. – Mas, acho bonita a fé dos jogadores, principalmente porque a mídia sempre se esforça muito para oculta-la, porém, sem sucesso.”

Ícaro de Carvalho:

“O COI estuda mandar uma carta de advertência ao Neymar, após ele utilizar uma faixa com mensagem religiosa. Primeiro eles haviam feito vista grossa, mas graça a um coro de reclamações, partindo de franceses – olhem só! -, decidiram se posicionar.

Esqueceram que as olimpíadas foram criadas para adoração aos Deuses e agora, como sempre faz o homem moderno, tenta substituir o céu e a terra por elementos mais “racionais” como, por exemplo, a fraternidade entre os povos.

Lembrando que a burca nada mais é do que uma manifestação religiosa, em resposta aos mandamentos do profeta islâmico. Ela nunca foi desencorajada. O proselitismo, para o Cristão, é um mandamento até muitas meses mais importante; e é totalmente afrontado.

O que eu acabo percebendo é que falta suporte e encorajamento por parte das próprias igrejas Cristãs em favor dos seus fiéis, sempre que esse tipo de coisa ocorre. Seus representantes deveriam criticar duramente qualquer tentativa de cerceamento da fé, à milésima potência do que fazem os muçulmanos, sempre que um fio de cabelo dos seus mandamentos é arrancado.”

Leandro Ruschel:

“Um atleta comemorar a sua vitória com uma faixa enaltecendo Jesus é algo proibido pelo COI, que ameaça até mesmo com a perda da medalha ganha.

Já uma muçulmana usar o Hijab embaixo de 40 graus de temperatura numa partida de vôlei de praia não é questionado pelo COI. Na verdade o ato chegou a ser celebrado por feministas (!?!?!) como um ato de “empoderamento feminino”.

Só se for o “poder” de ter que esconder o corpo e apanhar do marido sem reclamar.

Realmente o nível de imbecilidade humana nunca foi tão alto.”

esporte-rio-2016-volei-de-praia-egito-alemanha-20160808-01

Essas são somente algumas amostras de figuras intelectuais que prezo e sigo nas redes sociais, alguns ex-alunos do filósofo Olavo de Carvalho.

Bom, fim da “polêmica” e vida que segue?

Nem tanto. Após uns 2 dias do fim dos jogos, veículos de comunicação, daquela forma “imparcial” que só nós sabemos, divulgavam a exaustão que o atacante, xingou e discutiu com torcedores após a vitória. Só não disseram o motivo, e o pior, aparentava que o fez “de graça” por ouvir “simples gracejos”, ou porque de forma “mimada” estava triste com o Galvão entre outros comentaristas, por isso descontou em quem viu pela frente! Ridículo! Nada mais “forçado” do que acreditar nisso em vez da verdade.

Só que eu não sigo esquerdistas nas redes sociais, eu até os bloqueio, ou páro de seguir, quando é inevitável, e me surpreendeu, que agora as críticas partiam de quem? Do pessoal da direita!

Surpreende terem sido mordidos assim, com tanto gosto, pelo mosquitinho do politicamente correto!

Neymar, para eles, tinha de manter a imagem, tinha de dar exemplo, tinha de agir de forma “sobrehumana”!

Escrevi na ocasião:

“[…] a direita politicamente correta existe!
Neymar não pode xingar torcedor… ainda citam Renato Gaúcho e completam: na época que futebol era coisa de homens!
Raciocínio esquerdista a toda na direita hoje ein!
Porque como “sabemos” o Renato Gaúcho, Neto, Romário, Edmundo, Casagrande, todos ouviriam qualquer coisa e baixariam a cabeça chateados! A cara deles né?
Até mesmo Pelé, em que diziam que quando levava porrada (e apanhava muito) revidava quando o juíz não estava vendo (e tinha que fazer mesmo, tá certo!)”

animalanimal2

Se for para fazer comentários assim, com tanta incoerência, que se atenham as análises políticas (se é que após isso se pode dar créditos a qualquer análise, ainda mais política da parte de gente assim). Esse povo me cita jogadores historicamente tidos como “bad boys”, que revidavam qualquer coisa, dizendo que era assim que homens se comportavam? E o pior, pra dar exemplo que na verdade se comportavam de forma contrária? E vocês vão achar que era algum “Zé Ruela”, mas era gente conhecida e um “tanto quanto famosa” na direita que escreveu essas asneiras, com um séquito de seguidores corroborando! Tenho de dizer, porque senão vocês vão achar que então se tratava de um esquerdista-feminista, entre outros “istas” qualquer, já que é a cara deles raciocinarem dessa forma, invertendo tudo!

Ícaro de Carvalho e o jornalista da ESPN Brasil, Bruno Plapler, corroboram o que escrevi:

Escreveu o Ícaro:

“Ai, o Neymar xingou um torcedor”. E dai?

Essa relação plana, passiva e pacífica entre artistas, esportistas e demais personalidades e o público só existe agora, na época sacrossanta dos serviços. Há algum tempo, os padres tiravam os hereges aos tapas da Igreja. Caravaggio matava os caras na espadada, quando vinham falar merda das suas obras.

Nos dias de hoje, não. O balcão de serviços é um muro de marfim, que protege o cliente folgado de todo tipo de revide. Você é obrigado a conservar o sorriso enquanto o cliente pé no saco te dá cusparadas e profere xingamentos, porque algum americano bunda mole criou o mote de que “o cliente tem sempre razão”.

O que eles tentam é tornar o indivíduo passivo frente à massa anônima coletiva. Ninguém pode emitir uma opinião com personalidade, ou a mídia se ouriça. Todo atleta ou artista deve estar de quatro diante do politicamente correto e o clero nunca deve devolver, sob a forma de sopapos, a manifestação dos progressistas.

Nos retiram as espadas e os revólveres quando crianças e nos cortam as línguas e podam a coragem, quando adultos. Não existe nada mais belo e moral do que o Romário subindo a arquibancada para meter umas bolachas no torcedor folgado, que saiu correndo e se escondeu, como o covarde que é. O alambrado, a multidão e o anonimato sempre serviram de proteção a uma única classe de homens: o covarde miúdo.”

O jornalista da ESPN destaca em alguns trechos o que acho oportuno republicar aqui:

“[…] o repórter Diego Garcia, da ESPN, revelou o depoimento de pessoas próximas a Neymar dizendo que os tais torcedores xingados pelo craque eram na verdade um grupo de idiotas brasileiros com uma bandeira da Alemanha nas mãos que ficavam ofendendo não só Neymar, mas vários jogadores durante toda a partida. Aquele típico grupo de bobo alegre, que paga uma fortuna no ingresso, quer ser Zé Graça e nem de futebol gosta. Imbecis.

[…]

As pessoas precisam entender que de tonto Neymar não tem nada, com ele é bateu, levou. Apesar do perfil de queridinho estilo Kaká, Neymar está mais para Romário, e isso é bom, tem que enfrentar os corneteiros de frente, não pode ficar contra a parede, tem que se defender.”

Confira a íntegra do artigo do Plapler aqui, vale a pena: AQUI

Hoje li um cara que escreveu que o que o Neymar fez lhe deixa DOENTE! Sério cara? “Doente”?

Porque vai ver se fossem eles no lugar do Neymar, que estava em um momento de comemoração e foi xingado, os santinhos teriam baixado a cabeça não é?

Como Psicólogo não posso deixar de acreditar que existe ali uma inveja mesmo que inconsciente, onde se quer destruir alguém que não se consegue ser. O inconsciente portanto “recalca” a admiração e inveja, se externalizando em um ódio de mesma proporção, e no caso do Neymar, tanta, que o sujeito se vê doente. E está mesmo!
São esses caras que lêem uma matéria qualquer do Neymar, do tipo, “Neymar foi pescar”, e escrevem: “Acordem, esse cara não é Deus!”; outra matéria, “Neymar vai tomar sorvete”, e o sujeito, torna a repetir: “Esse cara não é Deus!”.
Mas aí quando o Neymar se comporta como um ser humano, no qual sempre quis ser, nada além disso, demonstrando POR ATOS, que é humilde, atribuindo sua vitória à Deus, o cara que critica espera o quê? Que Neymar se comporte como um Deus.

Só babacas acreditam que pessoas “humildes” não se irritam ante ofensas! O nome disso é baixa-estima e masoquismo.

Enfim, apanhando da esquerda, como era de se esperar por ser cristão, apanhando por parte da direita-modinha, Neymar segue representando o país, representando os ex-jogadores do meu Santos, representando os cristãos em campo! Como conservador, torcedor, amante de futebol, não posso ficar mais do que feliz com o nosso camisa 10!

Mais uma vez, parabéns Neymar, pela conquista do título inédito e do ouro e pelas 2 posturas, exaltar a Cristo, Nosso Senhor Jesus, e reagir ante as agressões!

Frederico Yamada