É uma Brasa, Mora!

Roberto Carlos nunca foi de muitas palavras (a não ser para cantar), mas ainda assim tornou definitivas e personalíssimas algumas definições como “Bicho”, expressão que usa para referir-se a alguém, e “é uma brasa, mora!?”, frase que virou quase obrigatória em muitas conversas e nas muitas entrevistas que deu em sua carreira.

Aqui vamos ver algumas declarações de Roberto, que mesmo feitas há muitos anos, são uma espécie de “retrato” do que Roberto é e pensa.

“Errei muito, fiz muitas asneiras, não sou nenhum querubim. Mas sempre tive comigo uma grande vontade de acertar e de amar a todos. Espero que isso se concretize cada vez mais e que todos os jovens se dêem as mãos”. – 28/09/1968

“Ás vezes, de um pequeno detalhe da vida, faço uma música. Às vezes, de pequenos detalhes da vida, digo uma coisa bonita para um amigo. Dos pequenos detalhes podem nascer as grandes atitudes, às vezes. Por isso eu vivo atento aos detalhes.” – 01/01/1979

“A gente se sente realizado não pela quantidade de coisas que possui, mas pelo que realiza na atividade que escolheu na vida. E, enquanto há vida, há vontade de fazer mais. A gente pode se sentir em parte realizado. Não tenho queixas quanto a isso…. Mas ter ambições, estar sempre insatisfeito, querer ir cada vez mais longe, significa consertar a juventude de espírito.” – 02/02/1971

“Esteja certo de que o amor é um grande protesto contra um mundo que ameaça se tornar cada vez mais árido. Só que tem uma coisa: a gente pode ser obrigado a guerrear, para manter o amor.” – 31/10/1970

“Sou otimista e tenho muita força de vontade. Supero qualquer problema com confiança: sou um homem de fé.”  – 01/12/1979

“A gente é que faz a vida. Tudo depende de nós”

“O público é um espelho onde eu vejo as coisas que quero ver”

“O envelhecimento é um problema pessoal, é um estado de espírito” – 31/01/1970

“Estou fazendo chapinha, sim. O sonho de consumo da Jovem Guarda seria uma chapinha. Se ela existisse naquela época, vocês não teriam visto os caracóis dos meu cabelos.”