Análise Poética de “De Tanto Amor”

Vou chorar mais uma vez, quando olhar nos olhos seus… Nos olhos seus…

De Tanto Amor
Roberto Carlos; Erasmo Carlos

Ah! Eu vim aqui, amor/ Só pra me despedir/ E as últimas palavras/ Desse nosso amor/ Você vai ter que ouvir

A solidão, a conciencia de que não existe mais chance de nada, faz com que ele (ou ela) se humilhe ao máximo por um resto de atenção, antes do fim.

Me perdi de tanto amor/ Ah! Eu enlouqueci/ Ninguém podia amar assim/ E eu amei e devo confessar/ Ai foi que eu errei

Ele tenta explicar quase desesperadamente o que aconteceu. Porque ele se perdeu nesse amor. Ele ‘exagerou’ e por isso errou…

Vou te olhar mais uma vez/ Na hora de dizer adeus/ Vou chorar mais uma vez/ Quando olhar nos olhos seus/ Nos olhos seus…

A agonia de olhar novamente a amada, de se despedir, de ter de encarar toda a história de amor, e o seu final, e por fim olhar nos olhos dela é demais para ele. Chorar é inevitavél…

A saudade vai chegar/ E, por favor, meu bem/ Me deixe pelo menos só te ver passar/ Eu nada vou dizer/ Perdoa se eu chorar…

No dia em que ele de novo sentir falta de todo esse amor, sabe que será ainda mais difícil que nessa despedida. Ele se humilha mais ainda… “Me deixe pelo menos só te ver passar”. Isso já é o suficiente para sobreviver… Ele não vai dizer nada… Mas sabe que as lagrimas vão rolar… E pede perdão por isso…