Análise Poética de “A mulher que eu amo”

É tudo que eu preciso pra minha alegria

A Mulher Que Eu Amo
Roberto Carlos

A mulher que eu amo / Tem a pele morena / É bonita, é pequena / E me ama também / A mulher que eu amo / Tem tudo que eu quero / E até mais do que espero / Encontrar em alguém / A mulher que eu amo / Tem um lindo sorriso / É tudo que eu preciso / Pra minha alegria / A mulher que eu amo / Tem nos olhos a calma / Ilumina minha alma / É o sol do meu dia / Tem a luz das estrelas / E a beleza da flor / Ela é minha vida / Ela é o meu amor

A música hoje é uma das mais simples que Roberto já fez. E como já disse aqui, músicas muito complicadas, e músicas muito fáceis, são muito mais difíceis de se ‘ver’ a poesia. Mas aqui temos toda a descrição da mulher amada. Ele exemplifica e exalta cada mínimo detalhe dela. A pele, a altura, o sorriso, os olhos… Tudo é exaltado como sempre acontece quando estamos amando. Ele define bem que ela é tudo para ele.

A mulher que eu amo / É o ar que eu respiro / E nela eu me inspiro / Pra falar de amor / Quando vem pra mim / É suave como a brisa / E o chão que ela pisa / Se enche de flor / A mulher que eu amo / Enfeita a minha vida / Meus sonhos realiza / Me faz tanto bem / Seu amor é pra mim / O que há de mais lindo / Se ela está sorrindo / Eu sorrio também / Tudo nela é bonito / Tudo nela é verdade / E com ela eu acredito / Na felicidade / Tudo nela é bonito / Tudo nela é verdade / E com ela eu acredito / Na felicidade…

A música vai seguindo a mesma linha de descrição minuciosa, mas dessa vez ele vai municiando aquilo que a presença dela faz em sua vida. Tudo se demonstra perfeito com ela. Ela é o ar para ele, uma necessidade para viver. Tudo se torna perfeito e lindo perto dela, o chão se torna florido. E mais que tudo, ela traz para ele a felicidade.