Liberdade ou Morte

Liberdade ou Morte

631
Compartilhar

LIBERDADE OU MORTE
Do atentado ao Charlie Hebdo à mais importante das lutas

Luciano Ayan – 2016
Editora Simonsen

Dentre os vários novos formadores de opinião contrários à Esquerda que surgiram nos últimos anos, poucos são tão controversos quanto Luciano Ayan, pseudônimo
de um consultor e gestor na área de TI que preferiu permanecer anônimo. Optando por analisar os fatos sob a ótica da guerra política e de suas estratégias, Ayan muitas vezes desagrada a alguns setores da Direita, embora incomode bem mais à Esquerda.

Usando o ataque à redação do Charlie Hebdo como base, Luciano Ayan discorre sobre a importância da liberdade de expressão e como ela pode estar ameaçada até de forma disfarçada em atitudes politicamente corretas. Sem poupar críticas aos últimos governos petistas assim como à Esquerda internacional, mostra como pequenas medidas visam cercear nossa liberdade.

O livro conta com prefácio de Flávio Quintela, possui 342 páginas divididas em 8 capítulos, uma introdução e um posfácio. 748 referências enriquecem a obra. Cada capítulo é dedicado a um tema. O multiculturalismo e a farsa que o precedeu com a ditadura do politicamente correto são desmascarados.

“Se os islâmicos devem ser respeitados enquanto indivíduos, simultaneamente é inaceitável dar a trapaceiros intelectuais a desculpa de defender que eles não precisem seguir as regras dos países que os acolhem. Pelas mãos do multiculturalismo, armados com jogos de vitimismo, os radicais são incentivados enquanto os moderados são desestimulados.”

Independente de se concordar ou não com a opção do autor em permanecer anônimo, a leitura desse livro é indispensável numa época em que a liberdade de expressão está constantemente ameaçada de forma aberta, como nos ataques ao Charlie Hebdo, ou de forma velada, como nas medidas de regulamentação da mídia.