Alimentação Seletiva: você é um adulto com paladar de criança?

Alimentação Seletiva: você é um adulto com paladar de criança?

172
Compartilhar

Muito boa tarde a todos!

Apesar de comum, este é um grande desafio para nós nutricionistas em consultórios, principalmente no mundo super industrializado em que vivemos onde deixamos de nos alimentar do natural e fomos aos pacotinhos.

Saibam que existem diversos estudos com indivíduos que passam por esta seleção alimentar, e pesquisadores no Centro de Distúrbios da Alimentação da Universidade Duke, localizado nos Estados Unidos, desenvolveram um estudo para saber o que faz um adulto ser “picky eater” – uma pessoa que escolhe demais os alimentos antes de comê-los.

É de extrema importância verificar onde está a raiz do problema, pois uma oferta precoce de alimentos às crianças, não sendo respeitado o período de amamentação exclusiva e cometendo-se equívocos na alimentação complementar, inadequações alimentares ocorridas na infância entre outros fatores, podem sim ocasionar este problema.

Observa-se que bebês com menos de SEIS MESES já são expostos a alimentos industrializados e que as escolhas alimentares das crianças são influenciadas pelos pais. As inadequações alimentares cometidas pelos pais muitas vezes ocorrem pela comodidade em realizar as refeições fora de casa ou a falta de tempo. Os erros cometidos pelos pais no que se refere à nutrição de seus filhos também ocorrem quando estabelecem meios de PUNIÇÃO ou COMPENSAÇÃO utilizando-se de alimentos e quando não respeitam a saciedade da criança.

Engana-se que todos estes problemas ocorrem devido a renda familiar, pois existem diversos estudo que comprovam que escolaridade e renda dos responsáveis, não está associada a alimentos de melhor qualidade.

Podemos ir muito além com um estudo recente feito por estudantes de uma universidade de Franca sobre o assunto, no qual concluiu-se que “os erros cometidos pelos pais na alimentação de seus filhos não ocorrem por falta de instrução, mas sim, por crenças infundadas e pela ausência de esclarecimentos sobre a nutrição infantil. Acredita-se que por meio de políticas públicas que valorizem a educação nutricional seja possível melhorar o conhecimento dos pais e familiares sobre a alimentação infantil e garantir uma infância e vida adulta mais saudável às crianças brasileiras.”

Bom, e agora, quais são as alternativas?
Primeiramente, precisamos entender que existem uma gama imensa de alimentos coloridos, deliciosos e nutritivos ao nosso alcance e devido a talvez uma rotina de vida corrida, acabamos entrando numa rotina alimentar também.
A ajuda de um profissional de PSICÓLOGO neste caso juntamente com um NUTRICIONISTA é FUNDAMENTAL para revertermos este quadro!

Pois bem, proponho um desafio a todos -picky eaters ou não- vamos INFILTRAR seus maiores inimigos atuais na rotina!

  • Se você não gosta de algum tipo de legumes, uma alternativa é misturar por exemplo em uma sopa aquele que você tem mais dificuldade. Cortar o legume bem picadinho e cozinha-lo junto aos demais ingrediente.Se necessário, bater em um liquidificar a fim de formar um creme;
  • No caso de dificuldades com folhas por exemplo: espinafre, cozinhar junto ao feijão na panela de pressão e a folha irá sumir, ficando apenas seus nutrientes;
  • As folhas também são ótimas aliadas quando pensamos em sucos DETOX!
  • No molho de tomate, ponha uma cenoura ou beterraba para cozinhar junto e depois bata tudo no liquidificador formando um creme riquíssimo em nutrientes também!

Eu vou ficando por aqui, para demais dúvidas sintam-se a vontade para peguntar!

Compartilhar
Nutricionista pela universidade Paulista-UNIP, especialista em Nutrição Clínica e ambulatorial pela Universidade Lusíada- UNILUS, fundadora da empresa Santo Detox. Apaixonada pela nutrição infantil com ênfase à alimentação no Autismo. Atualmente trabalha em consultório com foco em emagrecimento saudável pela nutrição funcional.