Olhar Atual

Afinal, quem é o guru da verdadeira direita? Ainda sobre o caso da Janaína Paschoal

Não vou começar este texto com nada menos do que a palavra “charlatanismo”!

Assim como Nietzsche esses lunáticos (Nietzsche morreu louco) acreditam que pairam acima do bem e do mal, portanto se arrrogando no direito de além de criticar a esquerda, criticar o que cinicamente chamam de “verdadeira direita”, dando a entender portanto que esses segundos, são arrogantes, não percebendo a contradição linguística aí que é um tanto quanto óbvia. Explico: Não há nenhuma direita organizada que seja que se autointula “verdadeira direita”, se você chama um grupo a revelia de “verdadeira direita” com tom irônico, você obviamente quer dizer que os mesmos nem de direita são, portanto quem está dizendo que é um legítimo representante da direita real, é você mesmo!

Caso este humilde articulista tenha se enganado, você não se coloca nem como esquerda nem como direita, você é o que então? Paira acima do bem e do mal? “Ultrapassou” esses conceitos? Talvez seja como a nossa digníssima Janaína, que muito embora não tenha dito com todas as letras que era de esquerda, responde em:

Primeiro em um vídeo “descontraído” como classificaram a questão: “Você não é de direita”, com absolutamente? Nada! Dando a entender portanto que seu contrário fosse verdadeiro, que obviamente ela seria de esquerda.

Em segundo, em postagens no Twitter a mesma responde as “acusações” de que é de esquerda como? Declarando em alto e bom som que é de direita? Não! Deixando tudo novamente muito vago!

Não é loucura dizer que há os que acreditam pairar acima da esquerda ou direita ou conciliá-la, a loucura mesmo é fazê-lo. Talvez Janaína seja uma dessas, não sabemos. A única coisa que podemos saber é o que a mesma permite que entendamos pelas entrelinhas.

Mas ainda há uma terceira hipótese a ser levantada: disseram, “ela somente disse que não era tanto de direita como a representante do “Endireita” havia sugerido.

Ora essa, isso de você ser mais ou menos de direita ou esquerda, existe?

O pior de tudo é que na cabeça de “meninos maluquinhos sim”, existe o tal de “extrema esquerda, extrema direita, extrema isso, aquilo”, há os “moderados”, os “do centro”. Bobagens aventadas apenas por PRIN-CI-PI-AN-TES em análise política!

Termos como extrema e centro somente podem ser utilizados em determinados contextos para se explicar posicionamentos estratégicos, novamente, em alguns contextos políticos!

É errôneo essa coisa de por exemplo, o PT é da esquerda “moderada”! Suponha que você tenha que levantar um muro, os esquerdistas colocam tijolos e os da direita tiram, impedindo a construção do tal muro. Se você tem um pedreiro petista moderado, ele colocará os tijolos em uma velocidade mediana, se você tiver um pedreiro de extrema direita, como alguém do PC do B, ele colocará os tijolos em uma velocidade muito mais rápida, independente da velocidade da colocação dos tijolos você terá no final o quê? Um muro! Como era de se esperar quando você se dispõe a fazer algo do tipo. No final das contas, o que te importa a velocidade no qual colocam esses tijolos, se você nunca quis construção de muro nenhum?

A Janaína não deixa claro, qual a velocidade com que ela quer que um “muro” seja construído, não deixa claro nem se ela faz parte do grupo que tira os tijolos.

Agora, a direita nunca precisou fazer malabarismos estratégicos para nada, nunca precisou criar essas subdivisões ridículas em que você tem que ter um “moderado”, um radical ou “extremo” e até mesmo uma falsa direita, caso tudo dê errado! Qual a “falsa direita” portanto? O PSDB!

Quem hoje já não sabe que o PSDB é da escola fabiana, portanto esquerdista? Pera aí! Ah, foi por isso que os outros autores citaram essa coisa de “verdadeira direita”! Vai ver estavam falando isso, que eles são pró-PSDB e pensam (porque são burros, vai ver) que são de direita e aí se criticou essa coisa de “verdadeira direita”!

Não, porque os próprios charlatães se utilizaram corretamente do termo “fabianos” para classificar o PSDB! Então quando dizemos que há uma direita falsa, é óbvio que estamos falando sobre o tucanato!

fabianos

Mais uma vez não fica claro onde Janaína pensa se situar, se dentro desse tucanato em que ela poderá pensar que com isso, faz parte da direita, mas duvido.

Destaco ainda dois trechos dos “tuítes”: “Os esquerdistas dizem que sou de direita e os direitistas que eu sou de esquerda. Já me habituei com isso.”

Ora essa! Por que não resolve logo com uma DECLARAÇÃO? Todos estamos esperando!

Depois escreve: “Muitas pessoas estão me escrevendo, perguntando se sou de esquerda. Não sou.”

Custava muito completar com um: “Sou de direita” né?

Isso é tão vago como dizerem para ela no vídeo: Você é de esquerda, pena que não é de direita… ou algo assim e ela simplesmente rir e pronto. Nada!

Adendo: Espero sinceramente Janaína Paschoal, que você apareça publicamente, solte um vídeo, escreva no Facebook, um tuíte que seja se declarando de direita! Apareça!

Essa coisa toda me lembra a declarações de pessoas como José Serra e Aécio Neves, como bem disse em meu outro artigo, aliás meu outro artigo está bem pautado e tenho orgulho dele, leiam aqui: http://olharatual.com.br/janaina-paschoal-e-da-esquerda/

Serra e Aécio eram contra as manifestações pró-impeachment em seu início, depois quando perceberam a opinião pública favorável, se declararam a favor, Serra foi vaiado, foi cobrado que falasse sobre o Foro de São Paulo, Alckmin quase foi expulso em uma dessas passeatas, Aécio declarou: Não adianta me empurrar pra direita que não vou!

Se não importa como a pessoa se define como autores adversários escreveram, então tudo bem, acreditemos que não somos direita de verdade só porque chamamos o PSDB de falsa direita e acreditemos no contrário do que Aécio disse!

Adendo 2: Na prática, ou seja, em ações, Janaína se alia a Hélio Bicudo, comunista, um dos fundadores do PT. Não dá pra acreditar na “conversão” de Bicudo, ou vocês acreditam?

A “direita-true”

Não vou nem me estender nos comentários sobre esse termo que como conservador só posso achar ridículo!

Parece coisa de adolescente que escreve e fala coisas como: “Nossa, isso é muito cool! Que style! E aí, let’s go pro shopping?”

Sem comentários.

Chavões utilizados pela direita contra a esquerda sendo usados de forma inversa

Tática engenhosa! Termos como “assassinato de reputações”, os “iluminados”, “monopólio da opinião pública”, “guru”, “seita”, “ovelhas”, “manipulados”, “golpistas da extrema”, sempre li/ouvi relacionados da direita contra a esquerda, nunca supostamente de pessoas que não se definem contra a “verdadeira direita”, título que como expliquei fôra dado pelos próprios detratores, talvez aí, principiando alguma verdade ao menos inconsciente.

O verdadeiro “guru da direita” – Ou o “guru sem rosto”

Interessante notar a covardia em se citar o filósofo Olavo de Carvalho, de forma implícita, de modo que pudéssemos identificar que o autor falava dele, mas não se tenha citado seu nome no corpo do texto em nenhum momento, relegando a aparição do nome no rodapé na parte das tags, “para que não restasse dúvidas”.

tag

Se assemelha a uma criança que mostra um desenho pra mãe não revelando o verdadeiro autor da “arte” para que em uma avaliação positiva diga altivo: “Fui eu que fiz” e em uma negativa: “Ah, foi o Luizinho!”

Se o autor “adversário” não declara o nome “Olavo de Carvalho” em “bom som”, não citarei o nome do verdadeiro guru, por puro desprezo “nietzscheano” que dizia: “Quem não sabe desprezar, não sabe respeitar”. E não posso mesmo respeitar quem faz “escola” nesses termos.

Já sobre a escola “olavete” preciso mesmo citar os intelectuais que o admiram e a relação de seus detratores? Preciso mesmo explicitar as contribuições culturais de seus alunos e seguidores confessos?

Isso está mais do que comprovado!

E o quê os seguidores e o próprio guru sem rosto já fizeram de bom nessa vida? Comparar os 2 grupos é pra chorar de pena do guru sem rosto!

O guru sem rosto faz escola quando seus seguidores se comportam exatamente da mesma maneira que ele, e no qual sempre levantam a suspeita de ser ele mesmo!

Vejamos:

– Ser um Zé Ninguém, escrever artigos que não ultrapassam nem 200 views que seja e exigir resposta do Olavo, e caso o mesmo não o faça, taxá-lo aos 4 ventos de “medroso”, “pessoa que foge de debates e discussões”… Júlio Severo, Reinaldo Azevedo, Rodrigo Constantino, etc, etc e ninguém menos que Duguin que o digam!

– Relegar a segundo plano intelectuais orientados por Olavo e promover vigaristas notórios que se declaram ou se aliaram pró-tucanato fabiano, ou seja, de esquerda, como alguns dos citados acima.

– Chamar quem não concorda e declara com todas as letras que é social democrata fabiano de “verdadeira direita” em tom jocoso, pra promover a falsa direita, porque nunca foi, e o mesmo se contradiz e admite que sabe o que seja escola fabiana.

– Aproveitar a ingenuidade de recém-convertidos ao liberalismo econômico para promover a cultura marxista os jogando contra os conservadores e reunindo esses recém-convertidos em torno de si, os estimulando contra os “olavetes”.

– Se utilizar da estratégia de espantalhos, dizendo que um determinado grupo “rival” como os olavetes, dizem, acreditam ou afirmam “tais” coisas que nunca disseram, acreditaram ou afirmaram.

– Possuem uma fixação psicologicamente doentia em relação ao Olavo, com medidas práticas como:

Criação de diversos fakes para dar a impressão de que quando um dos fakes produzem algo contra o filósofo, muita gente está corroborando pelo número de likes e compartilhamentos. Isso demanda um tempo absurdo, que sugere o perigo da fixação psicológica desses sujeitos. É claro que essa pessoa precisa de AJUDA!

No perfil desses fakes, você vai rolando as páginas para baixo, passando por meses e até ANOS! Vê somente postagens sobre o Olavo! “Refutando”, falando mal, dizendo que é charlatão, que odeia seus “seguidores cegos e ovelhas.” Um claro pedido de AJUDA!

Criar blogs e sites com temas que o Olavo fala em suas postagens e artigos e de 10 artigos que essa pessoa cria, 8 são falando mal do Olavo e de seus seguidores. Um bizarro pedido de AJUDA!

Pegar coisas que o Olavo explanou a exaustão, dar uma “maquiada” e postar como se fosse algo originalmente saído da própria cabeça, como a questão de “respeito a opinião alheia” onde Olavo cita Nietzsche. Ou seja, qualquer aluno, seguidor, leitor do Olavo de anos, reconhece facilmente os embustes, talvez daí o ódio estendido aos mesmos.

– Uma das principais armas, claro do “guru sem nome” é justamente o uso de algo que o Olavo ajudou a introduzir no Brasil, como uma ferramenta de instrução eficaz para não se cair no engodo do discurso erístico! Essas pessoas se negam a admitir que o Olavo quem introduziu a obra no país, até porque gostam de em vez de utilizar o livro para desmascarar falácias, se utilizar dessas mesmas armas para enganar e ludibriar, deturpando o sentido da obra que foi o prevenir os ataques, portanto atacam assim. Falam disso com orgulho!

Eu mesmo tive uma conversa inbox com o “guru sem rosto” e ele se utilizou da erística para me atacar e me desestabilizar psicologicamente, depois confessou que o objetivo dele era esse mesmo: vencer debates, desestabilizar o “inimigo” mesmo que não tenha razão. Verdade, mentira, bem e mal, devem ser superados! Lembra Nietzsche não? Lembra a moral comunista não?

Não seria isso a “cultura da inveja marxista” sendo utilizada?

Vejamos se os seguidores do guru sem nome, aprenderam a lição do mestre em uma postagem recebida por um colega de redação:

prova

Isso por uma acaso é ou não a confissão de mau-caratismo?

Porque dar ouvidos então a pessoas que se orgulham de não buscar a Verdade, como pregada por Sócrates/Platão? Dar ouvidos a pessoas que encaram o interlocutor como um inimigo que DEVE ser DESTRUÍDO? Palavras fortes não? Será um pedido de AJUDA?

Gostaria de esclarecer o sentido da palavra fixação na psicologia: Fixação (em alemão Fixierung) em Psicologia é um conceito criado por Freud para designar um apego permanente da libido a um estágio inicial e mais primitivo de desenvolvimento, ou ainda, um forte apego à pessoas ou coisas especialmente mórbido formado na infância e que leva a um comportamento neurótico ou imaturo. [1]

Também na Psicologia, considera-se que por inveja, por não conseguirmos ser como pessoas que mesmo que inconscientemente consideremos que seja superior em algo que nos é caro, como a intelectualidade, queremos a destruir, como se assim pudéssemos ocupar o seu lugar. É claro que isso se trata de uma ilusão histérica e de um sentimento de poder inexistente.

Consigo com tudo isso, imaginar um Mark Chapman (assassino de John Lennon) rodeado de posters do seu ídolo, respirando John por todos os lados, tamanha veneração.

PS: O guru sem rosto é real, possui um grande número de seguidores dentro da direita, de início se dizia admirador do Olavo, depois tentou descolar sua imagem dele, através dos “truques” descritos acima. Ao que parece está sendo “copiado” com sucesso por seus próprios seguidores de então.

“Sem rosto” porque há dúvidas se já o viram pessoalmente, ou se o seu nome é real, ninguém sabe ao certo.

PS2: Este autor espera sinceramente como já dito acima que Janaína Paschoal seja de direita, de fato, e não seja fingimento caso se declare como uma direitista e nem que seja algo tolo como se dizer social-democrata (fabiana). Ela não é minha inimiga, não quero destruí-la, pelo contrário! Basta ver como eu e seguidores do Olavo tratamos do tema.

Um leitor insistiu que a mesma havia declarado em seu Twitter hoje a tarde (dia 31/08/2016) que era de direita, “com todas as letras”. Pedi para que o mesmo então postasse a cópia do tuíte. Não o fez. Procurei eu mesmo e encontrei isso aqui:

tuite

Isso corrobora o que escrevi acima em: 1- Se considera superior a conceitos como esquerda ou direita, e que isso é uma tolice ou 2- não quer falar, quer mesmo deixar vago por algum motivo que fique a critério do leitor.

Espero ter esclarecido a questão, defendido o professor Olavo de Carvalho, sem ao menos este necessitar e rebatido as desqualificações em ad hominem de meu adversário, da forma correta.

Frederico Yamada

[1] Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Fixa%C3%A7%C3%A3o_(psicologia)

Frederico Yamada

Conservador, Cristão, Psicólogo, Escritor e Palestrante.
Trabalhou em importantes instituições na área de tecnologia e projetos sociais. Na Psicologia praticamente trabalhou em todas as áreas da profissão, desde instituições sociais, hospitais psiquiátricos, centros de reabilitação para infratores, sendo considerado um expert na área de dependência química.
Escreveu para os principais jornais de sua cidade e publicou artigos em portais da Internet com milhares de acessos e recomendações, sendo um artigo publicado em jornal interno da USP. Têm ainda 2 capítulos de livro publicados pela editora BR Letras.
Participou como convidado especial de programas para a EPTV filiada da Rede Globo, TV Cultura e em um programa-debate da TV da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo com renomados doutores de expressão nacional.

Sobre o Autor

Frederico Yamada

Conservador, Cristão, Psicólogo, Escritor e Palestrante.
Trabalhou em importantes instituições na área de tecnologia e projetos sociais. Na Psicologia praticamente trabalhou em todas as áreas da profissão, desde instituições sociais, hospitais psiquiátricos, centros de reabilitação para infratores, sendo considerado um expert na área de dependência química.
Escreveu para os principais jornais de sua cidade e publicou artigos em portais da Internet com milhares de acessos e recomendações, sendo um artigo publicado em jornal interno da USP. Têm ainda 2 capítulos de livro publicados pela editora BR Letras.
Participou como convidado especial de programas para a EPTV filiada da Rede Globo, TV Cultura e em um programa-debate da TV da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo com renomados doutores de expressão nacional.