Compartilhar

Olá pessoal, tudo bem?

Esta semana iremos conversar sobre uma triste realidade que tem nos rodeado, os diversos tipos de Diabetes.

Atualmente, estima-se que a população mundial com diabetes é de aproximadamente 382 milhões de pessoas e que deverá atingir 471 milhões em 2035. Cerca de 80% desses indivíduos com Diabetes Mellitus vivem em países em desenvolvimento, onde a epidemia tem maior intensidade, com crescente proporção de pessoas afetadas em grupos mais jovens, infelizmente. Assustador, não é mesmo?

O número de indivíduos diabéticos está aumentando em virtude do crescimento e do envelhecimento populacional, da maior urbanização, da crescente prevalência de obesidade e sedentarismo. Mas afinal, você sabe o que é esta doença?

Diabetes tipo 1: consiste na completa ausência da produção de insulina por um mecanismo autoimune, que destrói as células que já a fabricam naturalmente. Este tipo se dá ao indivíduo que já nasce com ela.

Diabetes tipo 2: adquirida principalmente por maus hábitos alimentares e o sedentarismo. Este tipo diz respeito a redução do efeito da insulina.

Diabetes Gestacional: é a intolerância aos carboidratos diagnosticada pela primeira vez durante a gestação e que pode ou não persistir após o parto. É o problema metabólico mais comum na gestação e tem prevalência entre 3% e 25% das gestações. Muitas vezes representa o aparecimento do diabetes mellitus tipo 2 durante a gravidez.

Todo diabético deve saber que a atenção com a alimentação é essencial para manter a saúde em dia. Com o consumo de alimentos fonte de fibras, a preocupação pode ser bem menor, pois as fibras tem o poder de diminuir o colesterol ruim (LDL) e glicemia.

Good News!

Pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, anunciaram na última semana um passo importante em direção à primeira vacina contra a diabetes. Os cientistas criaram um imunizante que se mostrou eficaz para controlar, em humanos, o tipo 1 da doença. O hormônio permite a entrada, nas células, da glicose circulante na corrente sanguínea. Com menos insulina, há um acúmulo de açúcar no sangue, o que caracteriza a diabetes.

A notícia da vacina somou-se a outras boas novidades divulgadas na semana passada. Nos Estados Unidos, onde ocorreu o congresso da Associação Americana de Diabetes, anunciou-se entre os avanços a chegada de um pâncreas artificial, capaz de equilibrar os níveis de insulina no organismo. Produzido pela Medtronic, o aparelho está sob avaliação do Food and Drug Administration, órgão americano responsável pela liberação de aparelhos de saúde.

Alimentação do Diabético:

De uma forma geral, a alimentação dos portadores da doença deve ser altamente rica em fibras e água. Exercícios físicos regulares também devem fazer parte de sua rotina para uma qualidade de vida muito maior.

  • Farinhas integrais e farelos funcionais na preparação de pães e bolos;
  • Variedade de folhas: invista nas folhas e diversifique seu prato, temos a rúcula, acelga, alface, repolhos, couve manteiga, espinafre, etc que são fontes de cálcio, ferro e fósforo, além de altamente ricos em fibras;
  • Proteínas leves: invista na variedade de peixes como sardinha, atum, tilápia e pescada branca além dos ovos que são fonte de vitamina do complexo B.
  • Temperos naturais: utilize as ervas desidratadas ou frescas pois têm alto poder medicinal e dão muito sabor a qualquer receita. Gengibre, pimenta, canela, cravo e também iogurte natural para temperar saladas.

EVITE AO MÁXIMO:

Altas fontes de gordura como creme de leite, molhos prontos como de tomate, molho para saladas e também condimentos como ketchup e mostarda, temperos industrializados em pó ou em cubos e sal refinado.

Adoçantes naturais x adoçantes artificiais

Hoje temos vários tipos de adoçantes no mercado, mas qual a melhor opção?

  • Ciclamato: é um adoçante totalmente sintético, derivado do petróleo e riquíssimo em sódio;
  • Aspartame: muito utilizado na fabricação de refrigerantes, este adoçante contém fenilalanina. Um estudo de 2011 verificou que o aspartame aumentava os níveis de glicose em jejum de ratos predispostos a diabetes.
  • Sucralose: derivado da cana-de açúcar e modificado em laboratório.
  • Estévia: naturalmente extraído de uma planta. Seu sabor é similar ao açúcar, não possui calorias e não altera níveis de glicose no sangue e não contém sódio.
  • Xilitol: extraído de vegetais fibrosos, sua concentração no sangue não sofre as mudanças bruscas causadas pela sacarose e pela glicose, o que faz do xilitol um adoçante apropriado para diabéticos. Recomendado a todos os grupos de populações e não provoca cáries.

E para finalizar, a diabéticos ou não: todos devemos nos atentar às informações nutricionais que os alimentos industrializados nos trazem em suas embalagens! Existem sim opções saudáveis que podem nos auxiliar na correria do dia-a-dia. Quem sabe um tema para o próximo post!

Até mais pessoal!!